terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

Raios!!!






O Ladrão de Raios (Rick Riordan)



Ou seria... Que Raio de Livro?!


Todos os que me conhecem, o que não são muitos porque não me dou a conhecer a pessoas em demasia, sabem que gosto demais de mitologia grega.

Leio de tudo o que encontrar sobre mitologia grega (ahá... e vocês achando que Cavaleiros do Zodíaco não servia pra nada, né? Tudo bem que lá a mitologia ta toda errada, mas me deu curiosidade de conhecer da maneira correta).

Então, como uma boa rata de livros que gosto de me autodenominar, sempre que vejo algo sobre esse assunto, vou ler.

Ganhei recentemente uma nova versão de A Ilíada e quando acabar a leitura posto aqui o que achei do livro aos que se interessarem pela minha humilde opinião.

Mas voltando ao foco, vamos falar sobre essa publicação com cerca de 400 páginas que trás uma história fictícia usando como plano de fundo mitos da Grécia antiga.

Começando pela narrativa.

...Por que... Por que, novamente pergunto eu, esses escritores/tradutores têm mania de colocar falas não condizentes a personagens com a idade que tem?

Um garoto de doze anos falando como se tivesse 16-18. Coisas que nunca conseguirei descobrir porque acho que vivo num mundo onde crianças falam como crianças, jovens como jovens (alguns adolescente tem um dialeto próprio é verdade), adultos como adultos e velhos como velhos.

Nem sempre, mas nas exceções chamamos de aberração e não levamos a sério.
O que imediatamente me faz não levar a sério os personagens que quebram essa regra de verossimilhança.

O livro é narrado em primeira pessoa, o que de maneira alguma coloca você no lugar do protagonista, Percy Jackson.

Em seguida os personagens coadjuvantes:

Pouco interessantes, sendo que alguns deles se tornam por vezes irritantes.

A trama:

Ok, e foi aqui que me divorciei desse livro o qual achei que seria feliz para sempre quando me juntei a ele.

Sintam o drama e me digam onde já leram isso:

Percy é um jovem com um leve traço de dislexia (que mais pra frente descobrimos que não é bem uma dislexia) o que faz com que mude de escola várias vezes (ou como também descobrimos mais pra frente não é por esse motivo que o garoto vive migrando de colégio).

Tem um padrasto que o odeia e o trata mal, uma mãe que o ama e faz de tudo para protegê-lo e uma curiosa mania de comer comida azul aqui e ali. Sim, você leu certo, ela come comida azul e caso não exista comida azul ela pinta a comida para que fique azul. Motivo? Hmmm... dica: O oceano.

Ta, aí o Percy, um garoto de 12 anos começa a ser perseguido por figuras estranhas da mitologia como Harpias e Minotauros (onde entra uma açãozinha escrita de forma rápida e sem nenhuma preparação para que o leitor se acostume com o ambiente fantasioso do livro. Quando eu digo ação mal colocada alguém lembra de Crepúsculo? Alguém?).

Então, ele vai pra um acampamento de MESTIÇOS onde ficam os filhos dos deuses com humanos. Sim os deuses mitológicos tiveram dezenas/centenas de filhos com humanos (nem podemos dizer que isso é novidade, surpresa seria se eles tivesses feito apenas UM filho em UM humano) e existe um acampamento para que esses fiquem seguros e treinem para... bem, para serem filhos de deuses com humanos.

Nesse acampamento existem as CABANAS onde ficam agrupados os filhos de cada deus, tipo: Athena, Hermes, Ares e por aí vai.

Durante a estadia no lugar há uma competição entre as CABANAS. Algo como roubar bandeiras...

Então, tudo ia bem (e cheio de semelhanças com um outro livro muito famoso entre o pessoalzinho e pá... se vocês não descobriram ainda na minha próxima dica irão), Percy descobre de quem é filho.

Claro, depois de demonstrações tão obvias de qual deus seria seu pai e que pasmem! Num acampamento onde existem seres mitológicos e um deus, um Dionísio chato e VELHO – Dionisio era conhecido entre os gregos como o guardião da juventude eterna, sempre representado dessa forma em suas estátuas, de maneira alegre por ser o deus dos prazeres. Mas ah! Por que um livro baseado em mitologia grega se importaria com um detalhe desses, não?
Sendo assim, isso explica o fato de nenhum personagem perceber as dicas que envolvem o elemento o qual Percy manipula sempre que está em perigo.

Seguindo o bonde, ou a biga, o garoto saca de quem é filho. Então... como um carimbo, digo, como uma maneira de reconhecer que o garoto é seu filho... o pai imortal vai lá e tasca uma marca em SUA TESTA!!! (adivinharam agora? ^^).

Tudo bem que a marca some, mas depois disso eu já estava tão impressionada com as semelhanças que parei de me preocupar com isso.

Parei de me preocupar tanto que não achei o cúmulo Posseidon ser um cara usando bermuda e chinelo com ar de surfista quarentão bronzeado.

E parei não só de me preocupar.

Resolvi nem continuar lendo as seqüências depois de ver o final, onde alguém que Percy dizia ser seu amigo ser na verdade um vilão que o tempo todo tramou contra ele (poooxa... também já vi reviravoltas da trama assim no outro livro... ^_^).
Então, aqui fica a opinião de quem leu:

Se quiserem algo raso com uma trama que poderia ter sido muito melhor, mas que se vendeu aos clichês e cópias, fiquem a vontade. Os personagens pouco carismáticos: Percy o escolhido filho de um cara poderoso e que é perseguido por esse motivo, a amiguinha inteligente e precoce e o amigo desastrado de bom coração que acaba sendo sempre azarado – aliás eu TAMBÉM já vi um trio assim em outro livro... gentem, quanta coincidência!.

Mas acho que os leitores de Crepúsculos, fãs órfãos de Harry Potter com certeza irão apreciar a leitura. E ficarão felizes em saber que ainda serão lançados mais alguns livros, já que o vilão-mor da trama está ressurgindo no nosso mundo para destruir tudo (ta... não brinco mais).

De minha parte fica um:

-- Pelo Olimpo!

E corro para ler minha querida Ilíada a fim de ver algo original, clássico e que exatamente por isso não destrói minha visão dos mitos.


***


PS*: Parece que tudo o que gosto ultimamente tem sido avacalhado por escritores medíocres. Vampiros, mitologia grega...



***

13 comentários:

dandansama disse...

Meu Zeus... ainda bem que não comprei essa bosta. Sério. Eu cheguei a pegar na prateleira, olhar o preço, ponderar e devolver pra levar "O Silêncio dos Inocentes".
Puta. Merda.

Sphynx disse...

Uhn, eu estava pensando em ler, mas pelo jeito não parece muito algo que eu compraria sem medo de jogar dinheiro fora.

Também entrei nas fileiras de leitores traumatizados com Credopúsculo.

Max disse...

Po!! tu acaba de ewxculaxar meu livro favorito ta bom q o dionisio é um chato velho mais é fodinha o livro nd comparado é logico com o harry potter...mas para quem axa q é ruim aguarde daqui a 2 anos sai o filme!!!!!!!!!!!!

westgeneration disse...

Não li o livro ainda, como não gosto de mitologia grega e coisas do gênero, acho que não terei problemas com ele, prefiro guerras civis.

Parece que o filme sai em fevereiro de 2010.

E sim Fran, você assim como eu vivemos em um mundo a parte, onde crianças de 12 anos, brincam e falam como crianças. Mas a verdade é que agora crianças de 12 anos tem filhos e "constroem" famílias.

Mah disse...

Como eu não li o livro não posso falar muito, mas pelo visto esse escritor é mais um que tentou juntar coisas que deram certo em alguns livros, fazer uma paçoca e achar que está inovando... é uma pena, o livro poderia ter sido bom por si só =/

Rafaelsixpence disse...

Olá, Fran, cheguei aqui pelo twitter do Briggs.

Então... Eu li o livro. Antes de colocar minha opinião, digo que tenho 23 anos, sou universitário, já li muita coisa para ter um mínimo de senso crítico, não sou nenhuma adolescente histérica berrando: "Edward!" rs

Realmente, o livro é uma cópia esculpida em carrara (ou cuspida e escarrada) do Harry Potter. Mas não deixa de ser divertido... Sabe, aqueles livros que de tão superficiais você lê em 2 dias? Livros-pipoca, assim como os filmes.

Vale a pena dar uma lida, na minha opinião... É bom pra quebrar o stress do dia-a-dia... Mas é fraco. Na verdade, o próprio Harry Potter é um livro mediano.

Agora, Crepúsculo é meu livro anti-insônia. Leio dois parágrafos e durmo. É incrível o efeito!

Mayol_RJ disse...

Como se já não bastasse a miséria que fizeram com a mitologia grega em "Hércules" e "Xena". Vamos aguardar a refilmagem de "Fúria de Titãs", mas isso difícil bater o original. Um clássico !

Onor disse...

Zeus me livre!
Sério que o livro é TÃO RUIM assim?

Sou um grande amante amador de mitologias do mundo antigo, seja a greco-romana, egípcia, nórdica ou até celta.

Trsite ver como escritores medíocres ganham o mercado escrotiz@ndo excelentes fontes de material e oferecendo um texto e história sofríveis. E pior, enmchendo o bolso de $$ e nem se preocupando em tentar de fato evoluir, melhorar, criar um texto que seja uma obra-prima!

Corro de Crepúsculo e agora correrei de O Ladrão de Raios. Q parece ser cópiazinha descarada de HP.

Michelly disse...

Credo... que mania idiota q o povo tem d comparar tudo q é livro d Harry Potter, e q mania feia ficar criticando livros... Pro seu grau de intelecto, pode até ser q Percy seja ruim, mais ele tem levado muuuitos jovens a serem um pouco menos medíocres em questão d Mitologia Grega. Poucos tem paciência pra ficar lendo Ilíada... Amo Percy! e sou total a Favor do Livro, e se quiserem saber um lado mais positivo da série, visitem meu Blog: http://percyjacksonmt.blogspot.com/

Luu disse...

Poutz, valeu mesmo!
Me safou de ler esse livro, faz tempos que passo na livraria e penso em compra-lo...
Acho que vou reler meu Harry Potter! Fico com o original, obrigada!

Sofia disse...

RILITROS desse comentário:"Po!! tu acaba de ewxculaxar meu livro favorito ta bom q o dionisio é um chato velho mais é fodinha o livro nd comparado é logico com o harry potter...mas para quem axa q é ruim aguarde daqui a 2 anos sai o filme!!!!!!!!!!!!"

Olha, eu estava realmente pensando em ler o livro, já que um colega meu tinha me falado sobre, mas como ODEIODETESTOQUEMORRANOINFERNO as coisas clichês, desisti.
De qualquer forma, eu li Coração de Tinta e curti, e me senti mal, já que depois que refleti um pouquinho, conluí que era um livro meio mal formulado e que deve ser o provável ganha-pão da escritora cujo nome me foge no momento. O início é lento e o final esquisito. Uma trama muito ping-pong, que o pessoal foge da cela e volta, e foge e voolta de novo...
Anyway, amei sua crítica! Você escreve bem, sabe? Curto muito seus textos!!

Bruna / Chiisana Hana disse...

Eu tava pensando em ler essa desgraça, mas depois de saber que esculhamba a mitologia grega eu desisto... não dá meeeeesmo!!
Adorei o blog, já vááários posts, só tô com preguiça de comentar em todos.

Biulismo disse...

Eu parei de ler quando ele chegou no acampamento. Uma verdadeira bosta! Se algum maluco quiser, posso doar o livro e ganhar espaço no armário. Parabéns pelo texto, os argumentos são bastante pertinentes!