quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Dá Licença?



Tava outro dia andando no shopping com uns amigos.

...Pra começo de conversa já vou dizer que odeio andar em shopping cheio, andar aqui é uma força de expressão, veja bem, porque em shopping cheio você não anda, se arrasta. Ou é empurrado por algum individuo tão mal educado e/ou tão mal humorado como você.

E pra piorar esse shopping estava lotado de criança, tinha criança saindo pelo ladrão. Nessas horas penso quantos casais se frustraram ao ver que seus métodos contraceptivos falharam e não venham me dizer que todos os mini sádicos foram planejados, porque pela cara de alguns pais...

Enfim, tava lá ‘andando’ pelas prateleiras de uma BláblábláHappy da vida que de happy não tem mais porcaria nenhuma, só meia dúzia de MaxStell e brinquedo sem graça.
Sinto falta da época em que havia brinquedos maneiros que faziam os adultos terem vontade de brincar e não to falando de sentar e brincar com o filho, to falando do ato egoísta de comprar um brinquedo pra si mesmo.
Aliás, encontrei um diabo de um bicho de pelúcia que no lugar da cara tinha um monitor. Creio eu que a fuça do bicho devia mostrar olhos, nariz (?) e boca e que mudava de expressão, sim, porque não quero acreditar que dava pra navegar na net com aquele aborto do mundo dos bonecos.

E quer saber? No mundo dos negócios você sabe quando algo é sucesso quando de 10 reais aquilo passa pra 200 e sabe quando é um fracasso quando aquilo faz o caminho inverso. Foi o caso do bicho da cara quadrada, de quase 300 reais ele foi pra uma promoção de 100...

...Por que será que nem me surpreendo?

Falando em abortos, vou entrar no assunto em questão, que pasmem! Não tem nada a ver com brinquedos mal feitos, tem a ver com crianças/pessoas mal feitas.

Tava lá, pá e bola e um garoto de uns 11 anos, empurrando um carrinho maior que ele, com uma tremenda cara de bunda (o que prova minha teoria de que a loja de brinquedo não tinha nada de happy), pediu licença pra um rapaz.

Leia-se ‘pedir licença’. Porque tem gente que pede licença pra dentro, né? Você mal ouve, sai uma coisa meio ‘mmrrrl’ que se for da sua vontade pode entender como ‘dá licença’ ou como ‘bom dia meu nome é idiota e eu estou prestes a te ferir’.

O moleque com cara de asshole pediu licença lá na língua do planeta de onde ele veio e avançou com o carrinho.

Isso mesmo. Avançou pra cima do rapaz (o qual ele pediu licença, veja você).

Agora eu pergunto, pra que realmente serve pedidos de licença como esses? 'Licença' hoje em dia não é mais um pedido pra que uma pessoa dê espaço e uma outra passe ou que ela possa colocar algo no lugar onde você está, ou pra ir ao banheiro no meio de um almoço social, ou tanto faz...

Licença hoje é algo pra aliviar sua consciência e passar a imagem de boa educação antes da criatura que pediu lhe ferrar de alguma maneira. Seja enfiando um carrinho de compras nas suas bolas, ou até mesmo te empurrando pra fora de um vagão de metrô lotado.

Pensando assim, acho que gosto dessa nova maneira de utilizar a expressão ‘dá licença’...

Agora toda vez que quiser fazer algo que não deveria vou utilizá-la.

Imagina?

‘Dá licença?’ E enfio um soco na tua cara.

Ou... ‘Dá licença?’ E passo com meu carro por cima de você.

Ou até mesmo... ‘Dá licença’, mas eu não te conheço, cruzei com você nesse exato momento no meio da rua, não fui com a sua cara então vou te empurrar escada abaixo nessa estação de trem porque estou com pressa, e afinal... eu pedi licença, né?



***

13 comentários:

Mah disse...

Dá Licença é algo complicado! xD
Várias vezes me mal interpretam quando eu peço, por exemplo, na escada rolante do metro quando algum casal resolve fechar a subida/descida com mais Ninguém a frente deles u_u"

Eles me acham mais mal educada do que qualquer outra coisa, só porque eu tenho motivos para ter pressa... e olha que eu espero a pessoa dar espaço tranquilamente, vai ver eles já se acostumaram com o pedido e um 'soco'

Guilherme Fernandes disse...

O que pode ser ainda pior que atropelar os outros, é quando algumas pessoas não saem da frente após um "dá licença".

É como se a pessoa se sentisse superior, com orgulho idiota em não dar a vez para o próximo.

Parabéns pelo Blog.

[]'s

kirano disse...

Educação é algo que se esquecem da existencia. Principalmente em Shoppinhs e Super Mercados (dois programas que não sou muito fã de fazer por fazer), onde alguns acham que é sua obrigação liberar caminho para eles passarem, e se não o fizer... Bem eles vem com tudo pra cima... Mas quem sabe o povo não aprende que educação pode ajudar o humor...

ps: "com aquele abordo do mundo dos bonecos". Só pra avisar.

Infinito disse...

Nossa! Há uma veia azeda na família Briggs!

Adorei!

Dagou um fã!

Bruno Sky disse...

kkkkkk
Bem típico de metrô!!

ótimo blog, pena q tem poucos posts

Jim disse...

E quando a pessoa não sai da sua frente no metrô? O que fazer?

Lenox disse...

Adorei o seu texto. Colocou tudo em pratos limpos.

O que é a expressão "Dá Lincença" hoje em dia?. É quando uma criança está para nascer (e ela nem pede isso, ela berra, maleducada).

No mundo onde pessoas matam friamente (calculados ou não) os próprios semelhantes por apenas míseros reais. Não é de se duvidar que "Dá Licença" vire um "Asshole, sai da minha frente".

Pedro Clini disse...

Falou TUDO, Fran!

Fazia tempo que eu não passava por aqui com tempo de ler as coisas até o final o_õ

Pior que as coisas estão assim memso... "licença" virou "tô passando". Deixou de ser um pedido e se tornou um alerta, que se vc não ouvir, azar o seu... ¬¬

Parece que a falta de educação tá mais comum que a própria educação hoje em dia... :/

TRILHAS SONORAS DISNEY disse...

É, ás vezes me preocupa como as pessoas são mal-educadas. Ás vezes até me sinto estranho em dizer toda hora: "Opa, desculpa", "Obrigado!", ou "obrigado, igualmente". Ás vezes as atendentes de telemarketing até respondem: "Imagina, de naaada!" (com um tom de "olha, um ser humano educado! :O". Mas fazer o quê... na rua, nas horas que não é SUPER necessário ser educado a gente acaba não sendo. Eu mesmo ando na rua desviando das pessoas e não peço licença tantas vezes. Triste mesmo :S

TRILHAS SONORAS DISNEY disse...

Ah, ótimo blog, by the way! Passarei sempre quando tiver postagens novas, adoooro ler :D

Victor disse...

Você me deu uma ótima idéia para uma história... /hahahahaha!

westgeneration disse...

Falou tudo! A verdade é que palavras Magicas, como com licença, muito obrigada, não tem de que, por favor etc, estão quase extintas, e quem ainda as usa dá a impressão para muitas pessoas de ultrapassadas.

Mas afinal de quem é a culpa? Será das crianças mal educadas? Poi bem, duvido que elas tenham nascido pedindo licença, mas deveriam crescer e ser educadas pelos pais e usarem as "palavras magicas", então se não as usam é uma falha dessa geração de pais que não deveriam ter sido pais. São pessoas que priorizam o trabalho enão mais da criação dos filhos, pode ser até ultrapassado, mas quando a mulher ficava em casa cuidando dos filhos, os serem humanos eram melhores.
Além disso hoje não se é mais abrigada a casar, ter filhos e ficar em casa, mas quem escolhe esse caminho, ja deveria saber que terá que mudar suas prioridades.

Rachel Mariano disse...

Hummm, dá licença? ... bom, você dá, né? posso comentar, então? (rsrsrs)

Excelente abordagem, Fran! Sou professora e vivencio este tipo de situação todos os dias. Cada vez que tomo conhecimento da gravidez de alguém peço a Deus que tenha piedade de nós, nesse caso, "nós" professores. As crianças perderam os referenciais mais básicos, como pedir licença, conhecendo exatamente o sentido deste pedido. Muitas vezes, quando um aluno é repreendido na escola e os pais (quando há possibilidade de usar esse plural) são chamados - e vão à escola - compreendemos a criança de uma outra forma. Normalmente, conversar com os pais nos mostra o quão "santa" é a criança.
Outro dia situação semelhante ocorreu comigo: Estava, também, num shopping e entrei numa loja de departamentos para comprar uns dvds. Era época de Natal, então a criançada toda estava nas ruas escolhendo seus presentes. Eu estava na fila para pagar e essa loja é uma daquelas cujo caminho até o caixa é uma tentação de doces, chocolates, revistas, etc. Eu parei para escolher uma caixa de chocolates quando um menino me pediu licença (na língua do "mmrrrl) e em seguida avançou, exatamente como você descreveu. Era um menino bem gordinho, eu até me desequilibrei. Só que não me afastei, e disse: Ei, mas eu não te dei licença! Ele me olhou incrédulo. Perguntei: Você não está na fila? Quando a fila andar e você chegar até aqui você pega seu doce. Está muito apertado para nós dois aqui.
Ele voltou, fez queixa para a mãe, mas não houve represália, afinal, várias pessoas na fila se manifestaram em meu favor.
Enfim, fico feliz que este assunto esteja sendo discutido de maneira tão séria por um "não professor", porque às vezes me parece que isso só incomoda a nós. Não vejo muito esse tipo de questionamento fora da escola. Ninguém percebe que a educação dada à garotada está falhando em vários aspectos?
Repito, excelente abordagem, excelente texto e, principalmente, excelente inciativa.
Abraços!