quinta-feira, 17 de junho de 2010

Noturno...



...Ou o livro dos Vampiros Ken*


Faz mais de um ano que li Crepúsculo... Fui convencida pelos vários elogios que li e pelo fato de gostar muito de vampiros.

Todo mundo que lê esse blog já sabe o que achei desse livro e não vou me alongar para não ficar mal humorada.

Então, li a respeito de mais um livro de vampiros que seria lançado, autoria de Guillermo Del Toro em parceria com Chuck Hogan.

Bom, pensei comigo, logo que li Guillermo Del Toro: ‘Uhul! Um cara que faz O Orfanato, O Labirinto do Fauno e A Espinha do Diabo, com certeza saberá fazer uma história sobre vampiros!’.

Fui na fé assim que achei o livro na livraria. Comecei a ler totalmente empolgada e o inicio me prendeu demais! Um avião onde todos os passageiros estão mortos por motivos inexplicáveis parado feito uma nave fantasma na pista de pouso em Nova York? Fantástico!

...E é com grande frustração que digo que para mim, o fantástico parou por aí. :/
Três coisas me fizeram achar o livro muito fraco, uma delas, a primeira que vou mencionar, não é a mais grave.

O primeiro motivo foi com certeza a maneira como a história se desenrola... tudo demora muito para acontecer. Não é que eu tenha pressa ao ler um livro, porque se estou com pressa eu simplesmente vejo um filme. Mas o fato de uma história de vampiros passar quase duzentas páginas apenas na investigação de uma 'doença' desconhecida me deixou pra lá de entediada.

Ainda mais quando os personagens simplesmente não me conquistam. Desde o protagonista ao velhinho caçador de vampiros. Tem potencial, mas alguma coisa os deixa antipáticos... Os vilões sofrem do mal ‘hahaha sou mal’ que estou cansada de ver... e até onde li (já que o livro tem continuações) nenhum deles tem carisma para te empolgar a ler as passagens onde aparecem.

E pra piorar, o principal motivo de, com certeza, não colocar esse livro entre os meus preferidos: Vampiros zumbis.

Gente... vampiro é uma coisa, zumbi é outra e T-Virus é outra... Tá, que nos dois últimos exemplos é quase a mesma coisa, mas vocês entenderam.

O que quero dizer é: Vampiros pensam. Vampiros tem charme (e isso faz com que muita gente se encante por eles). E não to falando de Edward Cullen (porque estou falando de vampiros e ele não é um), estou falando de Drácula de Bram Stocker.

Não vou nem forçar a amizade citando Anne Rice, porque sei que muita gente não aprecia os vampiros que ela criou , mais conscientes de sua maldição. Porém, há que se admitir que, embora afetados, os vampiros da Anne nunca brilharam no sol...

Enfim, o charme desses caras é o que leva tantos leitores a admirá-los e a ceder aos seus encantos. Mesmo quando eles deixam a máscara de lado e estraçalham pescoços para se alimentar, existe algo ali que faz com que você deseje saber mais sobre eles, continuar lendo ou vendo.

O fato de vampiros pertencerem à noite por serem amaldiçoados e não porque o verme que habita dentro deles derrete com raios UV é que faz com que admiremos esses cidadãos de presas afiadas. Mesmo escondidos sob capas puídas e com cara de senhores viciados em morfina.

A partir do momento que um vampiro se torna vampiro por causa de um vermezinho que modifica sua biologia não é mais vampirismo. É Arquivo X.

Entendo perfeitamente que o tio Guillermo e o Chuck quiserem fugir da premissa ‘oi sou vampiro, sou gatchinho e não vou chupar seu sangue porque tenho bom coração e brilho no sol’, mas pegaram uma via muito extrema e transformaram um mito numa quase patologia.

Vampiros que mijam e defecam ao se alimentarem e que soltam apêndices bizarros a la Alien de suas bocas quando atacam, definitivamente não me encantam. O que é muito triste e frustrante... Pois realmente acreditei que depois de Crepúsculo, Dark Hunter, Underworld, Diário de um Vampiro, e etc, conseguiria achar um bom livro sobre essas criaturas que tanto gosto.

Vou é me contentar com meus livrinhos da Anne Rice (antes dela pirar) e Bram Stocker, aliás, sendo esse último vitima de escritores modernos que insistem em citá-lo em suas obras ‘vampirescas’ e fazer parecer somente um velho louco que não entendia nada de vampiros.

Hello?... Respeitem os clássicos!

OBS*: O título do texto é pelo fato dos orgãos sexuais dos vampiros de Noturno atrofiarem e cairem... aí eles ficam tipo aquele boneco, o Ken. Sabe? XD





***



7 comentários:

Tiago MM disse...

Pergunta só por curiosidade: você já leu algum livro do André Vianco?

Juh disse...

Nossa, concordo totalmente!
Li Noturno há alguns meses, levada pela empolgação de ser um livro de vampiros maus, sabe? Vampiros vilões! E tb por que tinha o nome do Del Toro...
A história realmente me assustou numa parte, admito: a história de Sardu, contada pela avó do Setrakian (acho que é esse o nome do velhinho) e pelo próprio Setrakian, no campo de concentração.
Mas qnd chegou na parte do sangue branco, a luz amarela se acendeu no meu cérebro! Como assim?! Mas eu já tinha lido toda a série Crepúsculo e se eu tinha aguentado vampiro pedra brilhante e gelada, eu podia aguentar sangue branco.
Aí veio o comportamento errático e a luz amarela voltou pra verde. Pensei: oba, sede de sangue tem seu valor!
Só que os vampiros recém-criados gostavam de se esconder no escuro, cavando buraco no chão, que nem bicho! Cara, como assim?!
É vampiro, ñ é toupeira, não, tio Del Toro!
Aí veio o ápice da deturpação do MEU conceito de vampiro: sem pênis (e sem comentários) e vermes!
VERMES! Que nojo!
O fato deles 'se aliviarem' enquanto se alimentavam e de terem um ferrão que se projeta da garganta foram a cereja no bolo da decepção.

No geral, o livro ñ é uma perda de tempo (pelo menos, não foi pra mim), mas me deixou um gosto ruim na boca quando terminei. Talvez por tudo de grotesco que acontece nele.
Vampiros sempre foram minhas criaturas míticas favoritas. Tvz por isso, eu seja tão sensível à mudanças no seu "padrão". Vampiro pra mim bebe sangue humano, morre ao sol (exceto se for híbrido como o Blade), tem medo de estaca, prata e cruzes. E principalmente, são sedutores!
Tô precisando ler um livro sobre vampiros root, sabe?
Esses moderninhos são muito decepcionantes.

Abraços!
=)

Xiko do Couto disse...

Ué. Você não leu André Vianco ou não gostou? Eu não sou nenhum crítico literário, nem tenho uma estante tão extensa, mas eu gostei de Os 7( único que li, maldita falta de recur$o$).

Fran Briggs disse...

Ju -- Huahuahuaha não é topeira foi o máximo!!!! XD

Xico e Tiago -- Ainda não li André Vianco, mas mta gente me falou que é bom, vou procurar. x3

Anônimo disse...

muito prazer me chamou paulo mas sou conhecido po quadriz no mundo dos cartunista e escrito, adorei sua observaçoes sobres os livro eo mundo dos inmortais,estou lancando um novo manga que fala um pouco sobre esse mundo fantastico dos inmortais,adimirei sua observaçoes a cada detalhe e sentimentro de suas palavras e seu comentario muito bons. sig em meu twitter.com/paulocartunist ou em meu blog onde estarei deixa um um rascunho de meu novo trabalho preciso de sua sujestoes de pessoas como vcs mand sua sujestoes e comente em meu blog pauloquarix.blogspot.com seja bem vindo ate mas um abraço

D. disse...

Olá fran Briggs!
Primeiramente, quero dizer que gosto muitíssimo dos trabalhos do Guilherme Briggs e os seus, sejam Os Merc$, o blog Kiko e Gaby, Teatro de Bonecos, e vou te contar uma coisa: sou a-pai-xo-na-da pelo Make me Real! Pesquisei várias coisas sobre BJD's depois que conheci seu site. E um dia, com certeza, terei um magnífico doll pra cuidar também! =)

Bom, falando sobre livros agora... Sabe quando você se arrepende amargamente de uam coisa? Pois é, hoje eu me arrependo de ter lido a série de Crepúsculo. É, eu li todos. E não sei por que cargas d'água eu fiz isso. Tá, eu até sei, mas argh! É ridicúlo! u.u
Mas... a gente aprende a diferenciar livros bons de livros ruins lendo ambos. Agora eu evito qualquer livro que tenha vampiros e seja atual, sério. Bons livros de vampiros para mim são os Romances de Clã de vampiro: a Máscara (e por falar nisso, estou lendo o dos Toreador, que é magnífico! Isso é que é vampiro de verdade!), o eterno Drácula de Bran Stocker, claro, e Anne Rice. Já li os livros do André Vianco também (Os Sete, Sétimo e O senhor da chuva), não vou te desanimar, mas não é a melhor narração que existe, eu fui começar a me interessar´pelo livro lá pela metade. Mããs... Leia, e depois escreva aqui para nos dizer o que achou. ^^
Em relação a Noturno, logo que foi lançado, estava com uma grande vontade de comprá-lo, mas fiquei meio receosa, visto que essa onda de vampiros 'teens' vem transformando nossos queridos predadores sedutores em adolescentezinhos purpurinados que se apaixonam por qualquer garota por ai. Mas o benefício da dúvida existe, certo?! Ainda sim adiei minha ideia de comprar Noturno, e agora, lendo sua opinião sobre o assunto, creio que nem devo perder meu tempo e dinheiro com ele. Definitivamente vampiros-zumbis são inimagináveis na minha mente, e nem são compátiveis à habitar uma mesma história. Sei que você já leu "Eu sou o mensageiro" e "A menina que roubava livros", ambos de Marcus Zusak, e falou muito bem deles, que são meus livros preferidos, os "tops dos tops". Marcus Zusak sabe encantar a gente com palavras!
Então é isso. Seus posts são ótimos, adoro suas indagações e argumentações (^^), e obrigada por avisar que Noturno não é tudo aquilo que promete ser só por carregar o nome de Guilhermo del Toro.
Até mais!
^^

Robert Mello disse...

Confesso que também fiquei extremamente decepcionado com o desenrolar do enredo de Noturno! Vampiros Zumbis e Vermes parasitas, foi forçar a barra! O Inicio do livro realmente prende a atenção, mas chega uma hora em que você cansa!
Quem sabe como um filme B de terror essa trama funcione! rsrs
Assim como já indicaram aqui, sugiro ler os livro do André Vianco, a saga dos sete vampiros do rio d'ouro vale a pena ser lida!
Fran, você como uma fã de histórias de vampiros, saberia me dizer porque nessas histórias existem sempre 7 vampiros? Tanto em Noturno, quanto nos livros do André Vianco. Fora referência musicais e filme...

Abraços!